Correndo a carreira até o fim (2)

Correndo a carreira até o fim (2)

[Antes de ler este post, leia “Correndo a carreira até o fim (1)”]

2. EXISTE UM PERIGO REAL E EMINENTE DE QUE NÃO CHEGUEMOS AO FINAL DESTA JORNADA, E FIQUEMOS NO MEIO DO CAMINHO

“Considerai, pois, atentamente, aquele que suportou tamanha oposição dos pecadores contra si mesmo, para que não vos fatigueis, desmaiando em vossa alma.” (Hebreus 12.3)

Se, de fato, existe uma carreira que nos foi proposta por Deus e que deve ser corrida com perseverança até o fim, também existe o perigo real de que esta carreira nunca seja acabada. O versículo 3 do texto que estamos estudando é um alerta para que nenhum crente ignore o fato de que ele pode se cansar (“fatigar-se”) e até desmaiar no meio do caminho. Será que temos esta consciência?

É importante notarmos que o cansaço e o desmaio que nos ameaçam não significam a mesma coisa que apostatar da fé. A apostasia revela que o apóstata nunca pertenceu verdadeiramente ao Senhor (conforme 1João 2.19). Todavia, creio que aqui o escritor aos Hebreus está se dirigindo aos crentes, aqueles que foram verdadeiramente salvos e remidos no sangue de Jesus.

O perigo de cansar-se ou desmaiar, portanto, não é o perigo de abandonar Jesus. Ora, aqueles que pertencem ao Senhor serão preservados pelo próprio Jesus, como Ele mesmo nos prometeu! “Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão.” (João 10.28) E qual é o perigo, então? Observemos as nossas próprias vidas, e veremos que muitos crentes verdadeiramente salvos pararam de avançar, de crescer, de amadurecer. Eles pararam no meio do caminho, cansados ou desmaiados, e ficaram vendo os outros crentes avançarem. Estes crentes nunca poderão repetir a frase gloriosa do apóstolo Paulo ao final de suas vidas: “Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé”. Eles nunca sentirão o prazer de terem entregado suas vidas por completo ao controle do Espírito Santo. E, embora entrem no céu, posto que foram verdadeiramente nascidos de novo pela ação do Espírito Santo, não será sem dano que estes crentes serão salvos: “Se permanecer a obra de alguém que sobre o fundamento edificou, esse receberá galardão; se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele dano; mas esse mesmo será salvo, todavia, como que através do fogo.” (1Co 3.14-15)

Observemos a vida de Moisés. Seu nome está arrolado na galeria dos heróis da fé, em Hebreus 11. Não restam dúvidas de que Moisés foi salvo, e sua vida permanece um grande exemplo de fé e serviço a Deus para todos nós. Todavia, embora Moisés tenha servido o Senhor, sendo usado poderosamente para libertar Israel da escravidão do Egito, ele não entrou na terra prometida. Por quê? Por causa de um pecado cometido no final da carreira.

Oh, que nós possamos sentir o terror deste verdadeiro perigo que nos ronda! Que possamos temer ficar no meio do caminho! O próprio Paulo, embora estivesse plenamente convicto de sua salvação, sabia que havia um risco de não terminar a jornada e o desafio que Deus lhe tinha proposto: “Mas esmurro o meu corpo e o reduzo à escravidão, para que, tendo pregado a outros, não venha eu mesmo a ser desqualificado.” (1Coríntios 9.27)

Gostaria de enfatizar mais um pouco: alguns crentes jamais poderão dizer que concluíram o seu trabalho em vida, e serão desqualificados pelo Senhor por causa disso. Estes são aqueles que ficam pelo meio do caminho, cansaços ou desmaiados. E o que faz um crente chegar a tal estado de sua vida espiritual? Podemos citar, como exemplo, algumas causas de cansaço e desmaio na jornada da vida cristã:

Pecados não confessados – “Se eu no coração contemplara a vaidade [ou iniquidade], o Senhor não me teria ouvido.” (Salmo 66.18) Muitos crentes deixaram de crescer porque guardam pecados em seu coração. Podem ser “pecadinhos” ou “pecadões”, mas todo pecado amarra o crente e impede o seu avanço na caminhada.

Derrotas seguidas pela carne – O crente que cai seguidamente na mesma armadilha da carne acaba se cansando de lutar e, por fim, desmaia. Falamos bastante sobre isso nos posts “O que eu faço com Romanos 6?”, “As duas exclamações de uma vida que vence o pecado (1)” e “As duas exclamações de uma vida que vence o pecado (2)”.

Soberba e arrogância – Aquele que pensa já ter aprendido o suficiente, ou acha que não precisa de outros que o ajudem na caminhada, certamente ficará no meio do caminho. Mais cedo ou mais tarde, sentir-se-á cansado e desfalecerá.

Contentamento com a mediocridade – Isso acontece quando um cristão olha para os demais crentes à sua volta e pensa: “Eu vivo como eles também vivem. Isso basta”. Oh, que nunca venhamos a nos nivelar pelo padrão dos homens, mas que tenhamos sempre em vista Jesus, o nosso eterno e perfeito Salvador.

Inimizades com irmãos – É impressionante a facilidade com que nós crentes nos deixamos ferir. Existem muitos cristãos que deixaram de crescer porque se magoaram com um irmão da tal maneira que não conseguem olhar para mais nada em suas vidas senão para suas feridas de alma.

Envolvimento com as coisas desta vida – Família, trabalho, amizade, namoro, dinheiro – todas estas coisas fazem parte desta vida, e por isso não podemos deixar de lidar com elas. Entretanto, jamais podemos nos envolver com elas a ponto de o nosso crescimento e avanço em Deus serem impedidos. Quantos de nós não temos deixado de percorrer a carreira por causa delas!

Invejas e ciúmes – Reparar demais nas coisas que os outros têm também é um dos motivos pelos quais um cristão pode ficar cansado ou desmaiado em sua jornada.

Frustrações com pessoas – Será que você nunca viu uma situação como essa? Crentes que se decepcionam com pastores, líderes e irmãos em quem confiavam, e jamais são os mesmos por causa disso. Esta é uma das causas mais preocupantes de desmaio na fé.

Frustrações consigo mesmo – No calor da comunhão com Deus, sempre fazemos tantos planos e e votos! Mas poucos de nós verdadeiramenre conseguimos perseverar neles. A maioria simplesmente se frustra quando seus projetos demoram a dar certo ou não acontecem como se imaginava. Frustrações seguidas por este motivo causam paralisia na caminhada!

Lembre-se: ficar no meio do caminho é um perigo real na vida de todo crente em Cristo Jesus. Nunca pensemos que somos imunes a este risco, pois isto, por si só, já representa um verdadeiro desmaio na jornada da vida. Que possamos nos desembaraçar de todo peso e de todo pecado que tenazmente nos assedia, deixando para trás qualquer causa de cansaço ou desmaio.

Como podemos, então, escapar desse perigo de ficarmos no meio do caminho? Como podemos chegar ao fim da jornada com a certeza de que completamos a nossa missão? Este é o assunto do próximo estudo.

[continua]

Em Cristo,
Vinícius Pimentel

Anúncios

4 respostas em “Correndo a carreira até o fim (2)

  1. Pingback: Correndo a carreira até o fim (3) « marcados para impactar!

    • Pri,

      Bom saber que estás lendo o blog. Que o Senhor continue te dando crescimento e maturidade! Sê tu uma bênção, em Cristo Jesus!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s