Correndo a carreira até o fim (3)

É olhando para Jesus que alcançaremos o fim da carreira!

[Antes de ler este post, leia a Parte 1 e a Parte 2]

Estas são as duas verdades que já pudemos demonstrar até aqui:

  1. Todo crente, uma vez salvo, é colocado em uma jornada e deve percorrê-la até o fim;
  2. Todavia, existe um perigo real e eminente de que não cheguemos ao final desta jornada, e fiquemos no meio do caminho.

Entretanto, está claro para nós que deve existir alguma forma de escaparmos deste perigo e chegarmos ao fim da jornada de forma vitoriosa. Paulo lutou até o fim e obteve a certeza da coroa que o aguardava; certamente nós poderemos ter a mesma segurança! Qual é, porém, a saída? Como podemos completar a carreira? Este é o ponto de que queremos tratar agora.

3. O ÚNICO MEIO DE PERSEVERAMOS ATÉ O FIM DA CARREIRA É MANTENDO OS OLHOS FIXOS EM JESUS

“Olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus.” (Hebreus 12.2)

Não existe outra alternativa, outra estratégia que possamos utilizar ao longo desta jornada. Manter os olhos firmes no Autor e Consumador da nossa fé é o único meio de alcançarmos a completa vitória e obtermos a coroa pela missão cumprida em vida.

Embora, em um certo sentido, não tenhamos visto Jesus (1Pe 1.8), certamente todo crente deve poder dizer que viu o Senhor com base em 2Coríntios 3.18: “E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito.” A experiência de ver Jesus por meio do Espírito Santo é necessária a todo crente e, na verdade, está disponível para todo aquele que crê.

Três experiências marcantes podem ser úteis para entendermos melhor esta visão. A primeira delas é a experiência do próprio Paulo. A visão de Jesus foi o momento crucial para que aquele homem deixasse para trás sua história como fariseu e obtivesse uma nova vida. De forma literal e espiritual, a visão de Jesus arrancou as escamas dos olhos de Paulo! É isto que está escrito na Palavra: “Um homem, chamado Ananias, piedoso conforme a lei, tendo bom testemunho de todos os judeus que ali moravam, veio procurar-me e, pondo-se junto a mim, disse: Saulo, irmão, recebe novamente a vista. Nessa mesma hora, recobrei a vista e olhei para ele. Então, ele disse: O Deus de nossos pais, de antemão, te escolheu para conheceres a sua vontade, veres o Justo e ouvires uma voz da sua própria boca, porque terás de ser sua testemunha diante de todos os homens, das coisas que tens visto e ouvido.” (Atos 22.12-15)

Um segundo relato bíblico relevante é o da cura do cego de nascença. Após ser curado e recuperar a vista, os fariseus tentam dissuadir aquele homem e retirar dele a fé em Jesus. Mas qual é a sua resposta? “Uma coisa sei: eu era cego e agora vejo” (João 9.25). Aleluia! Esta afirmação deveria fluir dos lábios dos crentes todas as vezes que um indivíduo ou uma circunstância tentassem nos afastar da fé em Jesus. A visão do Senhor é suficiente para afastar toda dúvida. Nós vimos Jesus, e isso nos basta!

A terceira experiência ocorre no monte da transfiguração. Pedro, Tiago e João são levados por Jesus e, lá, vêem a face de Jesus resplandecente, e Moisés e Elias conversavam com Ele. Os discípulos ficam maravilhados com a visão, ao ponto de Pedro sugerir que fizessem tendas para ali permanecerem. Todavia, de repende, uma nuvem luminosa os envolve, e a voz de Deus lhes diz: “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo; a Ele ouvi” (Mateus 17.5) E então a Bíblia diz que os discípulos, levantando os olhos, a ninguém viram, senão Jesus. Somos capazes de compreender esta experiência? Embora os discípulos talvez estivessem maravilhados com a visão de Moisés e Elias, Deus o Pai aponta e exalta somente o Seu Filho.

Será que nós podemos, seguramente, afirmar que vimos Jesus? Será que nossa fé está firmada de tal forma em Cristo, que nada mais nos importa senão a certeza de que nós estamos nEle e Ele, em nós? Aquele que não pode ainda dizer “Eu vi o Senhor” deveria buscar a face de Deus até que tenha segurança desta experiência de fé em sua vida.

Mas o que é ver o Filho? Isso nos parece algo tão abstrato! Certamente não é uma experiência natural, que ocorre no mundo físico, mas uma realidade espiritual produzida pelo Espírito de Cristo que, em nosso coração, clama: “Aba, Pai”. Igualmente, não é uma mera experiência de “saber” com o intelecto, mas de “conhecer” com o coração. Trata-se de um ponto em que as verdades objetivas da Palavra de Deus são subjetivamente experimentadas na vida de um crente, de forma que ele pode não apenas lê-las na Bíblia, mas exultar em seu coração por causa delas, com alegria indizível e cheia de glória (1Pe 1.8).

João Calvino dizia que “O Evangelho não é uma doutrina de língua, senão de vida. Não pode assimilar-se somente por meio da razão e da memória, senão que chega a compreender-se de forma total quando ele possui toda a alma, e penetra no mais íntimo recesso do coração.”

Que podemos ver em Jesus, então, que nos assegure força e vitalidade para chegarmos ao fim da carreira, vitoriosos? A Palavra de Deus é certamente o lugar onde descobrimos a resposta:

Ele nos salvou.

“Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo; por intermédio de quem obtivemos igualmente acesso, pela fé, a esta graça na qual estamos firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus.” (Rm 5.1-2)

Ele nos santifica.

“Mas vós sois dele, em Cristo Jesus, o qual se nos tornou, da parte de Deus, sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção” (1Co 1.30)

“Para lhes abrires os olhos e os converteres das trevas para a luz e da potestade de Satanás para Deus, a fim de que recebam eles remissão de pecados e herança entre os que são santificados pela fé em mim.” (At 26.18)

Ele nos preserva.

“As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão. Aquilo que meu Pai me deu é maior do que tudo; e da mão do Pai ninguém pode arrebatar.” (Jo 10.27-29)

“Estou plenamente certo de que aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus.” (Fp 1.6)

Ele não nos abandona.

E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.” (Mt 28.20b)

“Não vos deixarei órfãos, voltarei para vós outros. Ainda por um pouco, e o mundo não me verá mais; vós, porém, me vereis; porque eu vivo, vós também vivereis.” (Jo 14.18-19)

Que a revelação divina destas verdades possam produzir em nós corações confiantes em Jesus. Que os nossos olhos estejam sempre firmes nEle e, assim, possamos perservar na caminhada. Que sejamos aqueles que completam a carreira com dignidade, pela graça de Deus em nós derramadas por meio de Jesus Cristo.

Nele, a quem nossos olhos são sempre atraídos,
Vinícius Pimentel

Anúncios

2 respostas em “Correndo a carreira até o fim (3)

  1. Oi Vi, acabei de ler esta série correndo a carreira até o fim e o Senhor me lembrou de muitas coisas que eu já tinha ouvido. Agradeço a Deus por fazer de você uma benção para pessoas que estão longe de através deste blog. Vou continuar lendo sempre que possível por isso não esqueça tô de olho no teu blog.
    Paz…

    • Pri,

      Continua lendo sim. E, sempre que puder, comenta! É pela nossa edificação que o Senhor tem trabalhado. E certamente Ele terminará a obra que começou.

      Em Cristo,
      Vinícius

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s