Livros que li em 2009

Seguindo a trilha de alguns amigos de outros blogs, resolvi publicar uma lista com os livros que li em 2009 e que indico para os irmãos.

Não ameis o mundo (Watchman Nee)

Neste livro, o irmão Nee nos apresenta o mundo como uma entidade espiritual por trás das coisas visíveis, uma força que sempre deve ser considerada. Ele trata com o impacto desta força sobre o cristão e do cristão sobre ela, com a conflitante exigência que lhe é feita de separação e envolvimento, de “estar no mundo” sem “ser do mundo”, e com o destino do homem em Cristo de “ter domínio”. Nesta difícil relação crente-mundo, o refrigério mútuo surge como uma forma de recebermos dos irmãos o frescor da comunhão com Deus, mesmo depois de um árduo dia de trabalho. Nee também aborda de forma insistente como o cristão deve lidar com o dinheiro, uma das mais fascinantes armas do mundo.

A difícil doutrina do amor de Deus (D.A. Carson)

O renomado teólogo D.A. Carson traz uma discussão relevante e original sobre a doutrina do amor de Deus. De todos os atributos divinos, o amor de Deus parece ser o menos contestado; porém Carson nos mostra que esta é a grande dificuldade de compreendermos tal doutrina de forma bíblica. Analisando tudo o que a Escritura diz acerca do amor de Deus, D.A. Carson nos leva ao fato de que tal amor precisa ser compreendido em todas as suas facetas, que são estas: a) o amor intra-trinitariano de Deus; b) o amor de Deus por todos os homens, que faz chover sobre maus e bons, que dá vida, respiração e tudo o mais; c) o amor de Deus pelos Seus eleitos, um amor redentivo que impulsiona todo o drama da salvação e da morte expiatória de Jesus Cristo; e d) o amor de Deus pelos fiéis, o amor que é derramado na medida da nossa obediência à Sua Palavra. Embora seja uma abordagem original e, muitas vezes, inquietante e desafiadora, creio que é exatamente isto que torna o livro de Carson tão relevante e indispensável a todos aqueles que desejam uma compreensão bíblica do grande amor de Deus.

O plano de Deus para a redenção (Mary E. McDonough)

A autora traz uma explanação do plano redentivo de Deus desde a eternidade até a experiência vitoriosa dos crentes que se apropriam da vida de Cristo e andam no Espírito. O grande mérito de McDonough é nos mostrar a redenção como uma mudança de esfera, de Adão para Cristo, e como a comunicação da natureza divina no espírito do crente. Porque somos participantes de Cristo em posição, podemos andar em uma experiência vitoriosa de vida espiritual. Todavia, recomendo cautela na leitura deste livro, uma vez que a autora aborda alguns pontos doutrinários de maneira não muito clara, o que pode trazer confusão. Os próprios editores frisam isto em algumas notas de rodapé ao longo da obra.

As três formas de unidade das igrejas reformadas (Editora Os Puritanos)

Este livro traz três dos mais importantes símbolos da igreja à época da Reforma: A Confissão Belga (1561), o Catecismo de Heidelberg (1563) e os Cânones de Dort (1619). Embora eu não concorde com tudo em que criam os reformados (e muitos ainda creem), especialmente no que concerne ao batismo infantil, é admirável o zelo daqueles crentes pela total submissão às Escrituras, bem como a ênfase dada à obra de Cristo em contraste com a depravação total do homem. Outro detalhe interessante a ser observado é a forma reverente, o temor com que aqueles antigos calvinistas ensinavam doutrinas difíceis como a eleição – bastante diferente do que muitos fazem hoje, especialmente na internet, tratando com desdém os opositores e falando de coisas celestiais como quem discute coisas terrenas e profanas. Que possamos aprender com nossos irmãos do passado!

Deliberadamente Igreja (Mark Dever & Paul Alexander)

Mark Dever teve a “inusitada” idéia de usar a Bíblia para formar e guiar a igreja que pastoreia, num mundo em que as igrejas estão sempre em busca de um novo método que promova crescimento explosivo. Dever defende que é possível alcançar crescimento numérico mantendo o fiel padrão das Escrituras. Mais do que isso, seu argumento é que este é o único crescimento que agrada a Deus, pois provém Dele mesmo! O livro é bastante agradável de ler, uma vez que o autor simplesmente relata como ele tem aplicado os princípios bíblicos à vida diária da igreja. Fala sobre as responsabilidades e virtudes que o pastor deve ter; sobre o culto inteiramente regulado pela Palavra de Deus; sobre a importância de uma liderança plural (presbitério) e como implantar tal liderança valorizando sobretudo o caráter do líder. O principal trunfo do livro é não vender a sua metodologia como “A metodologia”, como se todas as práticas da igreja fossem as melhores possíveis. Ao contrário, Dever enfatiza os princípios bíblicos e mostra que é possível vivenciá-los no dia-a-dia de uma igreja saudável.

Anúncios

Uma resposta em “Livros que li em 2009

  1. A PAZ DO SENHOR! ESTIVE OBSERVANDO SEU BLOG, UMA BENÇÃO NA VIDA DE CADA CRISTÃO QUE PROCURAM, ANDAR NOS CAMINHOS DO SENHOR E PRUCURA APRENDER MAIS, DA SUA PALAVRA,E AQUELES LIVROS SURGEIRDOS REALMENTE , DE AUTORES INSPIRADOS POR DEUS, VOCÊ ESTA DE PARABÉNS! FICA NA PAZ DO SENHOR!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s