John Piper – Convicções sobre Comportamento Homossexual e Ministério a Pessoas Homossexuais

Resolução emitida pela Conferência Batista Geral no Encontro Anual em Estes Park, Colorado, EUA. 27 de junho de 1992.

Por John Piper

Nós, os delegados do 114º Encontro Anual da Conferência Batista Geral reunidos em Estes Park, Colorado, nos dias 22 a 28 de junho de 1992, endossamos a seguinte resolução, composta de duas partes:

Parte Um

Nossa afirmação de que a Bíblia é a Palavra de Deus infalível com “suprema autoridade em todas as questões de fé e conduta”, e nossa afirmação de que “um Cristão deve viver para a glória de Deus” inclui as seis convicções sobre heterossexualidade e homossexualidade a seguir:

1. Nós cremos que a heterossexualidade é a vontade revelada de Deus para a humanidade e que, sendo Deus amoroso, uma expressão casta e fiel dessa orientação (como solteiro ou como casado) é o ideal para o qual Deus chama todas as pessoas.

2. Nós cremos que uma orientação homossexual é o resultado da queda da humanidade a uma condição pecaminosa que penetra cada pessoa. Mesmo que possam ser descobertas raízes biológicas ou familiares para a homossexualidade, nós não cremos que isso serviria de autorização ou desculpa para o comportamento homossexual, embora tais descobertas aprofundariam a nossa compaixão e paciência por aqueles que estão lutando para serem livres de tentações sexuais.

3. Nós cremos que há esperança para a pessoa com orientação homossexual e que Jesus Cristo oferece uma alternativa restauradora, na qual o poder do pecado é quebrado e a pessoa é liberta para conhecer e experimentar a sua verdadeira identidade em Cristo e na comunhão da Sua igreja.

4. Nós cremos que essa liberdade é alcançada por um processo que inclui reconhecer o comportamento sexual como pecado, renunciar à prática do comportamento homossexual, redescobrir amizades saudáveis e não-eróticas com pessoas do mesmo sexo, abraçar um estilo de vida sexual moral, e, na era por vir, levantar dentre os mortos com um novo corpo livre de todo impulso pecaminoso. Esse processo assemelha-se ao processo de santificação necessário para lidar com as tentações heterossexuais, de igual modo. Nós cremos que essa liberdade vem por meio da fé em Jesus Cristo, pelo poder do Seu Espírito.

5. Nós cremos que todas as pessoas foram criadas à imagem de Deus e que a todas elas deve ser conferida a dignidade humana. Nós cremos, por essa razão, que molestar pessoas com orientação homossexual com ódio, medo ou indiferença é um comportamento que deve ser repudiado. Nós cremos que o respeito por pessoas com orientação homossexual envolve compartilhar, de forma honesta, racional e não-violenta, os fatos relacionados à imoralidade e à culpabilidade* do comportamento homossexual. Por outro lado, endossar um comportamento que a Bíblia desaprova põe em risco a vida das pessoas e desonra a Deus.

6. Nós cremos que as igrejas Cristãs deveriam lançar-se em amor e verdade para ministrar a pessoas afetadas pela homossexualidade, e que aqueles que fazem guerra Biblicamente contra suas próprias tentações sexuais deveriam ser pacientemente assistidos em suas batalhas, e não banidas ou desprezadas. Todavia, à medida que uma pessoa assume papéis de liderança ou exemplo mais proeminentes em uma igreja ou instituição da Conferência, maiores serão as expectativas em relação ao ideal de Deus para a obediência sexual e integridade. Nós afirmamos que tanto pessoas heterossexuais quanto homossexuais deveriam encontrar ajuda na igreja para engajarem-se na batalha Bíblica contra todos os pensamentos e comportamentos sexuais impuros.

Parte Dois

Ademais, nós endossamos as seguintes afirmações como uma implicação das seis convicções anteriores.

Considerando que as convicções quanto à pecaminosidade do comportamento homossexual, assim como as convicções quanto à pecaminosidade da mentira, do roubo, do assassino, da ganância etc., são uma parte essencial do nosso comprometimento com a suprema autoridade da Bíblia em todas as questões de fé e conduta,

e considerando que uma pessoa que considere mentir, roubar, assassinar ou cobiçar como estilos de vida biblicamente aceitáveis não deveria e não poderia ser considerada qualificada para servir na liderança da nossa Conferência, ou ensinar em suas instituições educacionais, ou servir como pastores nas igrejas da Conferência Batista Geral, ou como diretores ou professores de qualquer escola religiosa*, ou como missionários da Conferência Batista Geral,

assim nós afirmamos que, do mesmo modo, aqueles que considerem ser o comportamento homossexual um estilo de vida biblicamente aceitável não estão qualificados para servir na liderança da Conferência, ou ensinar em suas instituições educacionais, ou servir como pastores nas igrejas da Conferência Batista Geral, ou como diretores ou professores de qualquer escola religiosa*, ou como missionários da Conferência Batista Geral.

Nós ainda afirmamos que esta afirmação é simplesmente um esforço para tornar explícito o consenso religioso implícito da Conferência Batista Geral com respeito ao significado do Artigo Um (A Palavra de Deus) e o Artigo Oito (Conduta Cristã) da nossa Afirmação de Fé, adotada em 1951.

Original: http://www.desiringgod.org/
Tradução: Vinícius S. Pimentel

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s